sábado, 28 de novembro de 2009

"Pensou que era um pesadelo.

Engano, era apenas mais um dia."

(Milena M. Cassucci.)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Making a difference.


While I was walking down the beach, I began to see a man in the distance. As I came nearer, I noticed that the man was bending down, picking something up and throwing it out into the water. He did that many times. Time and again he continued throwing things out into the ocean.
As I came even closer, I saw that he was a fisherman. He was picking up starfish that had been washed up on the beach and, one at a time, he was throwing them back into the water.
I was curious. I approached the fisherman and said: "Good morning, friend. I was wondering what you are doing."
"I'm throwing these starfish back into the ocean. You see, it's low tide right now and all of these starfish are up here on the sand. If I don't throw them back into the water, they'll die up here from lack of oxygen."
"I understand", I said, "but there are thousands of starfish on this beach. You can't possibly get to all of them. There are simply too many. And don't you realize that at this time this is probably happening on hundreds of beaches all up down this coast? Can't you see that you can't possibly make a difference?"
The man smiled, bent down one more time and picked up another starfish. He threw it back into the sea and answered, "I made a difference to that one!"

"A starfish is not a fish,
A starfish is not a star.
Close your eyes and make a wish.
In your dreams you travel far."




Texto do meu livro de inglês. Achei super bonitinho e resolvi colocá-lo aqui, já que não posto nada há um tempo...
Sexta faço meu último simulado. Depois, férias. Vou dar um jeito de postar aqui com mais frequência, prometo!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Vem!

Deita do meu lado, fica mais um pouquinho. Me dá um abraço forte. Segura minha mão, sussurra em meu ouvido aquela música que tanto gostamos... A nossa música!
Me traz uma rosa, ou até mesmo uma pétala. Pode trançar os meus cabelos, roer as minhas unhas, os meus pensamentos, meus sentidos. Arranca minhas lágrimas, meus sorrisos, meus suspiros. Pode levar tudo pra você, leva meu coração. Ou melhor: Me leva. Já não posso mais aguentar um segundo sem você.
Vem cá. Faz uma visita, fica para o chá, café, suco ou água, que seja. Desde que você fique, está tudo bem.
Pode trazer suas malas, suas roupas, sua meia ou um fio de cabelo, qualquer pedacinho de ti. Desde que você fique o tempo suficiente para que eu queira que você vá. Mas saiba que, quando for, vai levar tudo de mim com você e que uma hora vai ter que voltar pra devolver e deixar tudo em seu devido lugar.
Vem. Deixa o teu perfume no meu travesseiro. Traz teu sorriso, o brilho dos teus olhos, a tua voz abafada. Traz o "nós" de volta. Põe o sol de volta na minha janela, as cores no meu jardim.
E depois vai. Vai e fica por lá, na cidade, longe, até quando sentir que é preciso voltar, que a sua metade te espera, observando as ondas do mar indo e vindo. Volta sabendo que eu vou estar aqui.

Vem cá. Deita do meu lado. Fica mais um pouquinho dessa vez...

terça-feira, 10 de novembro de 2009

- O que mais te surpeende na humanidade?

- Os homens... Porque perdem a saúde para ganhar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensar ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente e nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivesse vivido.
(Dalai Lama.)

Tirei um peso das minhas costas hoje. Aliás, parte dele. Daqui sete dias - exatamente - vou me sentir ainda mais aliviada e, ao mesmo tempo, desesperada... Certeza!
Detesto fim de ano.

domingo, 8 de novembro de 2009

My words were not strong enough to fix what happened here.

"Te ver indo embora uma, duas, três, quatro vezes me doeu demais... Mas dizem que não há dor que não tenha cura. Cura não tem, mas eu acabei me acostumando, sabe? A perder um pedaço de você a cada despedida e imaginar 'Será que ela está por aí? Será que lembrou de mim hoje, ontem, há uma semana, que seja?' Por mais que eu conheça cinco, dez, quinze ou mil pessoas, nenhuma vai se encaixar no buraco vazio da falta. Porque essa falta é sua, e só cabe a você tirar... Tarde nunca é... Claro que eu me magoei várias vezes com isso, ainda que não tenha dito. Agora mesmo meus olhos encheram d'água. Algo me diz que você tem um motivo maior pra ter me dito tudo isso e agora eu digo: Sim, vou confiar em você outra vez. Não, não é tarde pra me 'ganhar' de volta... Até mesmo porque você nunca me perdeu. Sempre fui seu, em pensamento e em coração, ainda que talvez você tenha se esquecido disso, meu amor por você é e sempre será infinito."

"Eu sempre penso muito em você... E é horrível, sim, a sensação quando você some, e, apesar de ter me acostumado a te ver sumindo, por algum motivo, eu sempre crio esperanças de que você volte. (...) Você sempre ficou presente pra mim quando pôde e de todas as lembranças que eu tenho, essas são as que há de melhor, e as que me fazem pedir todos os dias pra essa tua ausência ser temporária... E mais, eu sempre amei você!"


Hoje, mais uma vez, a saudade resolveu me atormentar. Aliás, ela não me deixa nunca, mas às vezes resolve me ferir um pouco mais, me fazendo lembrar que fui eu quem joguei uma das minhas amizades mais preciosas pro alto e só percebi isso depois de que o estrago estava feito, me fazendo lembrar de como eu era feliz antes de cometer meus inúmeros erros, antes de ferir a pessoa mais encantadora, o coração mais puro que eu já conheci.
Então, meu dia foi por água abaixo. E tudo que eu mais quero agora é reencontrá-lo e fazer com que ele entenda que é a pessoa mais importante pra mim - falo mesmo. -
(Mais um desabafo).

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Dear friend.


São quantos anos? No mínimo 11, não é mesmo?! Dentro desse tempo eu pude ter a certeza absoluta de que a nossa amizade não é como essas outras que vemos por aí. Não é daquelas que começam, chegam ao "auge" e de lá despencam, ou melhor: acabam.
Longos anos, recheados com muitas histórias, risadas, abraços, problemas, algumas lágrimas, um pouco de distância, confiança e muitas outras coisas mais. Tudo isso faz com que ela cresça mais e mais a cada instante. Mesmo quando ficamos alguns dias, semanas, ou até meses, sem nos vermos. E quando isso acontece, eu fico pensando que, se fosse com outras pessoas, a amizade acabaria aos poucos, mas a nossa não. E eu nem quero que isso aconteça! Até porque, como você diz, nós somos irmãs. (E agora eu vou ser obrigada a usar uma frase do tipo que eu não gosto... Bem clichê) "Amigas por destino, irmãs por opção". É, é isso. Você é a irmã que eu não tenho (na verdade tenho, mas... Enfim).
É você quem sabe tudo (tu-do) que se passa comigo, todas as minhas histórias sem pé nem cabeça, todas as minhas complicações, meus rolos, conhece minhas manias, minhas virtudes, meus defeitos, meus surtos, conhece meu 'guarda-roupa' (quando apareço com uma blusa diferente: "ahh, essa blusa é nova, não é?!" haha), enfim, coisas mínimas que eu não sei se existe alguém, além de ti, que conhece.
É você quem vem caminhando, crescendo comigo desde os meus três anos de idade. É você quem me puxa, me faz acordar, quando estou com os pés fora do chão, com a cabeça nas nuvens. Você quem me ouve (quando deixamos o tal "monólogo" de lado), me dá um ombro pra chorar, seca minhas lágrimas, me conforta e me aconselha.
Às vezes, és como uma irmã mais velha, mesmo sendo mais nova. Aliás, sempre que digo isso me lembro da minha mãe dizendo que, quando éramos pequenas, se alguém mexia comigo, você me protegia. Sempre foi mais alta, então, achava que devia me proteger de toda e qualquer coisa que parecesse ameaçadora pra mim. Digo, achava não, você o fazia. Eu era sua protegida. Hoje sabemos nos cuidar, mas, ainda assim, temos uma a outra sempre. E isso vai continuar até o fim das nossas vidas, se depender de mim.

Só de pensar que, segundo você, daqui dois anos eu não a terei mais aqui perto de mim, me dá um puta aperto no coração (é!). É difícil até tentar me imaginar sem você aqui, sabia?! Eu realmente espero que isso não aconteça... Por mais que você queira, dessa vez, vou lhe contrariar, porque eu não quero ter que esperar seis meses para entrar de férias e, finalmente, pegar um avião, um ônibus ou o que quer que seja, pra ir te ver. Não quero mesmo! Prefiro milhares de vezes ter você morando aqui no bairro ao lado, poder ir na esquina de casa e ver o teu prédio, poder passar de frente o mesmo e morrer de vontade de entrar pra te dar um "oi", que seja, do que imaginar você em uma distância de... Sabe-se lá quantos quilômetros.

Nenhuma palavra é boa o suficiente para descrever nossa amizade, o afeto, o amor, o companheirismo (etc) que existe entre nós, mas ainda assim, eu tento deixar um pouco mais claro (porque não o faço no dia-a-dia) que meu carinho por ti é "imensamente imenso" e que eu sempre estarei ao teu lado, independentemente da distância, do tempo ou de qualquer outra coisa. Tenho que lhe agradecer muito, por tudo que você fez e tem feito por mim. Então, leia cada palavra dessa como tal. Obrigada por existir na minha vida, Leticia!
E aqui vai outra frase clichê: "Desde sempre e para sempre." ♥

"When you're down and troubled and you need a helping hand, and nothing is going right, close your eyes and think of me and soon I'll be there to brighten up even your darkest nights.
You just call out my name and you know wherever I am, I'll come running to see you again. Winter, spring, summer or fall, all you have to do is call, and I'll be there. You've got a friend!
If the sky above you should turn dark and full of clouds, and that old north wind should begin to blow, keep your head together and call my name out loud and soon I will be knocking upon your door. You just call out my name, and you know wherever I am, I'll come running to see you again.
You've got a friend." (James Taylor).

domingo, 1 de novembro de 2009

I could be brown...


...I could be blue, I could be violet sky. I could be hurtful. I could be purple, I could be anything you like. Gotta be green, gotta be mean, gotta be everything more.
I could be wholesome, I could be loathsome. Yes, I'm a little bit shy. Why don't you like me without making me try?

Getting angry doesn't solve anything.

Say what you want to satisfy yourself. But you only want what everybody else says you should want.


(Grace Kelly, by Mika)